Reportagem sobre cyberbullying, aqui!

dezembro 7, 2010

Durante os últimos meses, nós, da equipe Bullying Virtual, nos dedicamos a discutir o tema cyberbullying neste blog. O resultado da dedicação foi uma reportagem, em diversos tópicos, produzida durante o último mês. E você, querido leitor, já pode entrar em contato com nosso material inédito através das páginas deste blog. Estão aí, no nosso cabeçalho.

Temos, antes de tudo, uma definição do que, após tanto tempo de estudo, entedemos como cyberbullying.

Porém, também fomos investigar quais as particularidades que caracterizam o cyberbullying em relação ao bullying.

Em seguida, paramos pra pensar um pouco entre a relação dos famosos e o bullying virtual.

Também conversamos com um anônimo que, de repente, virou famoso na internet, o famoso meme Lord Eternal!

Por fim, dicas de como manter sua família longe do cyberbullying.

Além disso, você também pode ouvir, na íntegra, as entrevistas usadas na reportagem.

Poderá, se preferir, assistir o vídeo com os melhores momentos da entrevista com Lord Eternal.

Sem esquecer, claro, de votar na nossa enquete. Participe, sua contribuição é muito importante!

Depois de tanto trabalho, a equipe Bullying Virtual agradece sua visita. Agora, boa leitura!


Reação estranha para o cyberbullying

dezembro 6, 2010

Em 2003, na cidade de Fortaleza, Ceará, tivemos um curioso caso de repercussão ao cyberbullying.

Tudo começou de forma “comum”: uma garota, que na época cursava a sétima série do Colégio Santa Cecília, grava um vídeo íntimo para conquistar um rapaz mais velho. Ele acha graça e resolve passar o conteúdo para seus colegas. O vídeo se propaga muito rapidamente e, em questão de dias, vários estudantes de Fortaleza ficam sabendo do caso. Até aí, nada surpreendente, não?

A reação da mãe da garota é o que chama a atenção. Ela resolve criar um blog, onde conta as consequências morais do caso na vida de sua filha. Isso tudo para criar um clima de piedade e, enfim, pedir que deixem a menina em paz.

Criar um blog para contar as consequências emocionais para sua filha não seria uma atitude impensada da mãe? Isso, certamente, abriria espaço para maiores chacotas por parte dos colegas da menina. Sendo assim, podemos, talvez, dizer que a mãe participou da humilhação da filha?

Infelizmente (ou felizmente), o blog não está mais à disposição na internet. Fica, então, a análise do caso para você, leitor. Comente na nossa área de comentários.


Enquete sobre cyberbullying

dezembro 2, 2010

Caso você queira registrar algum relato sobre cyberbullying, fique à vontade para fazer isso nos comentários. Assim mais pessoas ficarão alertas para esta ameaça.


Infográfico mostra vulnerabilidade de crianças na internet

dezembro 2, 2010

A ONG SaferNet lança o primeiro de uma série de infográficos que ilustram os principais dados e cruzamentos das pesquisas sobre vulnerabilidades de crianças e adolescentes na web. A infografia é um recurso visual combinando fotografia, texto e desenho que facilita a leitura dos dados.

A pesquisa foi feita no segundo semestre de 2009 com 732 educadores e 2159 alunos de 12  à 17 anos e buscou conhecer mais detalhes sobre o que significa segurança na Internet, tanto para as crianças e jovens desta geração “multimídia online” quanto para seus educadores. O infográfico foi feito pela designer Flávia Marinho e está disponível na Web para leitura e divulgação.

Fonte: NÉtica


O que fazer ao ser vítima de cyberbullying

novembro 22, 2010

O que a vítima do cyberbullying deve fazer?

A) Preserve todas as provas

Seja qual for o crime que o internauta venha a ser vítima, é importante, antes de tudo, preservar o maior número de provas que conseguir. Imprimir e salvar o conteúdo das páginas ou “o diálogo” do(s) suspeito(s) numa sala de bate-papo, por exemplo, ajuda como fonte de informação para a investigação da polícia. Mas infelizmente não vale como prova em juízo, pois carece de fé pública. Uma alternativa para registrar provas que estejam on-line é recorrer a um cartório e fazer uma declaração de fé pública de que o crime em questão existiu, ou lavrar uma Ata Notarial do conteúdo ilegal/ofensivo. Isso é necessário porque, como a internet é muito dinâmica, as informações podem ser tiradas do ar ou removidas para outro endereço a qualquer momento.

O cuidado com a preservação das provas torna-se ainda mais importante quando a Justiça brasileira já responsabilizou, em algumas de suas decisões, internautas que não guardaram registros do crime on-line de que foram vítimas, o que torna o golpe duplamente custoso ao usuário da rede.

B) Com as provas na mão, procure uma Delegacia de Polícia e registre a ocorrência

O que fazer inicialmente?

A despeito da ação penal, pode o cidadão que se sentir lesado em seus direitos notificar diretamente o prestador do serviço de conteúdo para que remova o conteúdo ilegal e/ou ofensivo de seus servidores e preserve todas as provas da materialidade e os indícios de autoria do(s) crime(s).

Onde encontrar uma delegacia especializada em crimes cibernéticos?

• Distrito Federal
Polícia Civil – Divisão de Repressão aos Crimes de Alta Tecnologia (DICAT)
Endereço: SIA TRECHO 2 LOTE 2.010 1º ANDAR, BRASÍLIA-DF, CEP: 71200-020.
Telefone: (0xx61) 3361-9589
E-mail: dicat@pcdf.df.gov.br

Obs: A DICAT é uma Divisão especializada em crimes tecnológicos que tem como atribuição assessorar as demais unidades da Polícia Civil do Distrito Federal. Como Divisão, a DICAT não atende ao público, não registra ocorrências nem instaura inquéritos policiais. A finalidade da DICAT é prestar apoio às Delegacias de Polícia do DF nas investigações de crimes que envolvam o uso de alta tecnologia, como computadores e internet, agindo sob provocação das Delagacias que necessitarem de auxílio no “universo virtual”, por exemplo. Ou seja: qualquer Delegacia do Distrito Federal poderá fazer o Registro da Ocorrência, investigar, e qualquer dificuldade ou necessidade de um apoio mais técnico, solicita auxílio a DICAT.

Desse modo, a vítima de crime cibernético no Distrito Federal pode procurar qualquer uma das Delegacias de Polícia (as não especializadas) para efetuar registro da ocorrência.

Por fim, a DICAT recebe denúncias de crimes cibernéticos (que são repassadas aos órgãos competentes) e presta esclarecimentos sobre condutas a serem adotadas por vítimas de crimes cibernéticos no DF, quando informados ou solicitados por e-mail.

• Espírito Santo
Polícia Civil – Núcleo de Repressão a Crimes Eletrônicos (NURECCEL)
Endereço: O Núcleo funciona do edifício-sede da Chefia de Polícia Civil, 2º andar, localizado na Av. Nossa Senhora da Penha, 2290 – Bairro Santa Luiza – Vitória/ES, ao lado do DETRAN.
Telefone: 0xx027 – 3137-9078 ou fax 0xx027 – 3137-9077
E-mail: nureccel@pc.es.gov.br
WebSite: http://www.pc.es.gov.br/nureccel.asp

• Goiás
Polícia Civil – Divisão de Repressão aos Cibercrimes (DRC) da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC) – Goiânia/GO
Telefone: 0xx62 – 3201-1150 / 3201-1140

• Minas Gerais
Polícia Civil – Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra a Informática e Fraudes Eletrônicas – DERCIFE
Endereço: Av. Antônio Carlos, 901 – Lagoinha – Belo Horizonte – MG
Telefone: 0xx31 – 3429-6024 | Horário de Atendimento: 08:30 às 18:30 horas
E-mail: dercifelab.di@pc.mg.gov.br

• Pará
Polícia Civil – Delegacia Virtual
WebSite: http://www.delegaciavirtual.pa.gov.br
E-mail: comunicacao@policiacivil.pa.gov.br

• Paraná
Polícia Civil – Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber)
Endereço: Rua José Loureiro, 376 – 1º. Andar – sala 1 – Centro – Curitiba-PR
E-mail: cibercrimes@pc.pr.gov.br
Telefone: (0xx41) 3883-8100

• Pernambuco
Polícia Civil – Delegacia interativa
WebSite: http://ww8.sds.pe.gov.br/delegaciainterativa/default.jsp
E-mail: policiac@fisepe.pe.gov.br

• Rio de Janeiro
Polícia Civil – Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI)
Endereço: Rua Professor Clementino Fraga nº 77 – Cidade Nova (prédio da 6ª DP), Rio de Janeiro, RJ
Telefone: 0xx21 – 3399-3203/3200
E-mails: drci@policiacivil.rj.gov.br / drci@pcerj.rj.gov.br

• São Paulo
Polícia Civil – 4ª. Delegacia de Delitos Cometidos por meios Eletrônicos – DIG/DEIC
Avenida Zack Narchi,152 – Carandiru, São Paulo-SP OBS: perto da antiga detenção do Carandiru, próximo ao Center Norte, estação do metrô do carandiru
Telefone: 0xx11 – 6221-7030 / 6221-7011 – ramal 208
E-mail: 4dp.dig.deic@policiacivil.sp.gov.br

Nos Estados da Federação onde não houverem delegacias especializadas, procure a mais próxima da sua residência.

Fonte: http://www.safernet.org.br

É interessante notar que há uma mobilização e um reconhecimento dos crimes via internet, já que um crime praticado na esfera da internet não deixa de se configurar como crime e com isto, é necessário saber como agir ao ser vítima, por exemplo do cyberbullying.


thebullyingendsnow.com

novembro 11, 2010

Sensibilizadas com um suicídio, duas adolescentes criam organização anti-bullying.

Após ser vítima de bullying virtual no Facebook, Cassidy Joy Andel enforcou-se no último dia 4 de novembro. As suas últimas palavras foram: “O meu tempo chegou e por isso eu vou embora, para um lugar melhor, muito além.”

Quando Julia Kordon e sua amiga Savannah leram as palavras de Cassidy e as palavras que a levaram a tirar a própria vida, elas sentiram que deviam agir de alguma forma. Foi então que criaram uma página no Facebook em memória da adolescente que nem conheciam.

Em poucos dias a página já tinha mais de 7.000 amigos, todos querendo saber mais sobre Cassidy, bullying virtual e pedindo que fizessem camisetas e pulseiras para manter a memória dela. As duas adolescentes viram uma oportunidade de fazer algo maior e resolveram abraçar a ideia. Julia disse aos seus pais sobre a página do Facebook. Ao mesmo tempo que ficaram orgulhosos dela, ficaram preocupados por ela ter feito isso sem que eles soubessem.

Julia passou a receber convites para dar entrevistas, então ela e sua amiga Savannah criaram uma organização chamada The Bullying Ends Now, com o objetivo de levar a sua mensagem o mais longe possível.

“As pessoas precisam ter cuidado com suas palavras, porque elas realmente podem machucar”, disse Julia.

Esta luta contra o cyberbullying não é fácil. Até a página criada em memória de Cassidy já precisou ter alguns comentários apagados vindo de pessoas mal intencionadas. Mas isso não está fazendo com que Julia e Savannah parem, elas tem a esperança de que através de Cassidy, outras pessoas possam ser salvas.

adaptado de: http://www.abc15.com/dpp/news/region_west_valley/buckeye/13-year-old-west-valley-girl-takes-on-cyberbullying-after-teen-comitts-suicide


Por uma internet mais segura

novembro 9, 2010

O Safer Internet Day (SID), ou Dia da Internet Segura, como é conhecido no Brasil, é um evento internacional mobilizado pela Insafe, rede que agrupa as organizações responsáveis pelo uso consciente da internet no mundo. Trata-se de um dia dedicado para discutir o respeito e a segurança na internet, especialmente em favor das crianças e jovens. Naturalmente, o Cyberbullying é um dos temas mais recorrentes nos debates promovidos no SID. Realizado todos os anos no mês de fevereiro desde 2007, a edição do próximo ano acontecerá no dia 08 de fevereiro de 2011 e espera-se que seja a maior da história do evento, com mais de 500 intervenções em cerca de 65 países. O tema do próximo Dia da Internet Segura será “it’s more than a game, it’s your life“, algo como “isto é mais que um jogo, é sua vida”. Os debates e programas do evento abordarão principalmente como as “vidas virtuais” dos usuários da internet estão sendo tratadas.

O tema do Safer Internet Day de 2010, realizado no dia 09 de fevereiro, foi “think before you post“, algo como “pense antes de postar” e tratou principalmente das atitudes impensadas dos usuários de internet em expressar suas opiniões ou compartilhar dados pessoais sem considerar as consequências de seus atos. É claro que o Cyberbullying está envolvido com esta temática. Existem inúmeros casos de jovens ou crianças humilhadas virtualmente por entrarem em contato ou compartilharem informações sigilosas com pessoas mal-intencionadas. No Brasil, o evento é produzido pela organização Safernet. Aqui, tivemos oficinas em algumas capitais do país, debates pelo web chat do portal Terra, pelo canal de televisão Futura, no evento de tecnologias digitais Campus Party (São Paulo), entre outros locais das cidades brasileiras, mobilizações em praças como a da Liberdade em Belo Horizonte, entre muitos outros eventos.

Uma mobilização mundial como essa é importante para discutir um tema tão sensível como o cyberbullying. A iniciativa é gloriosa, porém ainda muito mal implantada no Brasil. A divulgação do evento e sua organização, em 2010, foram precárias e poucos especialistas e interessados souberam ou puderam participar. Fica a torcida que a edição do Dia da Internet Segura de 2011 seja melhor produzida e que atinja, de fato, uma boa parcela da população brasileira e que esta mobilização possa trazer mudanças para o quadro de humilhação virtual cada vez maior em nosso país.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.